quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

E que as bundas digam Amém!


Dizem que mulher boa é mulher bunduda, rabuda, de ancas largas. Mulher que quando anda expõe um sutil rebolado, cuja bunda tão notada e apreciada lhes dá contornos monumentais e movimentos afrodisíacos. Esta parte da mulher, tão cobiçada, sempre foi assim considerada desde os tempos mais remotos, em que os homens cansados do coito conjugal procuravam as prostitutas em busca de práticas sexuais distintas daquelas que normalmente tinham em casa. Entre estas, incluía-se o sexo oral e anal. Além do mais, nos tempos das senzalas, os senhores também exigiam de suas escravas os mesmos serviços sexuais.

A bunda, tão bem considerada, já foi e continua sendo o símbolo da mulher brasileira e, principalmente, da mulatas e negras (talvez por causa daquele lance das senzalas). Esta é representada nas artes plásticas, tais como desenho, pintura e tão bem escrita e descrita na literatura erótica e pornográfica. Carlos Drummond de Andrade, ao escrever sobre ela, foi enfático e mostrou-se apreciador deste fenômeno (?) nacional, dizendo-nos Não lhe importa o que vai pela frente do corpo. A bunda basta-se. E claro que basta-se. No entanto, se bem pensarmos o que seria realmente esta região corpórea, chegaremos a uma conclusão não tão agradável. Esta é nada mais nada menos do que o conjunto de nádegas e ânus. O ânus, vulgarmente chamado de cu, é o lugar onde se expele as fezes. Mas porque logo esta parte do corpo é tão privilegiada na mulher?!

A bunda recebe várias denominações, pode-se dizer que alguém nasceu de bunda (ou de cu) virado para a lua com a finalidade de atribuir-lhe sorte, de tanajura para denotar o tamanho exagerado da mesma ou, então, de dizer-lhe que é empinada. Além desta possuir denominações negativas que não cabem aqui neste texto, pois, como já perceberam, escrevo a respeito do sentido positivo da mesma.

- Aaiii que buuunda! E é assim que a mulher é reconhecida quando passa na rua, desfilando com sua calça apertada ou saia rodada. Uma Playboy não é nada mais do que uma sessão de bundas levantadas no centro da página. Arnaldo Jabor, em A bunda dura, diz que a bunda atualmente refere-se à uma forma de ascensão social. Depois das propagandas, capas de revistas e da televisão, você tem alguma dúvida disso?

Além de tudo o que disse, existem as diversas bundas: largas, empinadas, com ou sem celulite, com ou sem estria e mais uma série de outros formatos e formas. Mas o que importa tudo isso? Para o sexo anal faz diferença? De baixo da roupa ninguém vê nada. O biquíni?! Aí tudo bem, mas isso é para quem gosta de ser chamada de gostosa e de por inveja nas amigas por estarem muito preocupadas com o sentido bundístico que nos foi dado.

A bunda pode ser tida como este grande símbolo, tudo bem, existe até calcinha com enchimento em formato de bunda. Mas saibam, caros leitores, que não há nada melhor do que viver sem se preocupar com tudo isso porque, na verdade, os homens gostam é de uma mulher que saiba viver sem medo de ser feliz e que saiba se olhar no espelho e reconhecer-se naturalmente linda.


8 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Por incrível que pareça a melancia não apareceu nesta publicação bundástica. Mas é isso mesmo. Melhor que uma bunda boa é uma mulher com cabeça boa e de bem com a vida.
Cadinho RoCo

Fabiana Amaral disse...

Hehe.
Seu texto tem um objeto diferente mesmo.
Ui.

Rrsrsrsrs

DO disse...

É a preferencia nacional.

:)

Beijos!!

espelhodesombras disse...

Querida Lu, tua dissertação sobre bundas eta um barato, mas te digo: tudo demais e exagero.
beijos
João Costa Filho

Ítalo Bruno disse...

Nossa, gostei muito do texto.

em termos de escrita, ficou muito legal, vc pegou um assunto, bunda, um tema um tanto "desbundado" de importancia, e tornou um assunto interessante de ler. Referencia história do gosto brasileiro pela bunda, depois vc questionou a logica de a bunda ser desejada, levando a agente a conclusão que é algo do instinto, talvez dominação, mostrou como normalmente as pessoas lidaum com isso, logo apos defendeu a bunda, mostrando o lado legal dela, e finalizou da a sua opinião, e sua relação com o tema..rs

Muito bom

Sobre o assunto:

Naum ha como questionar a atração, e a beleza q a bunda tem, mas de fato, ser uma pessoa vazia grudada numa bela bunda chega a ser mediocre, mas podendo aliar inteligencia e beleza ... (por sinal algo que a autora desse texto faz com perfeição..rs)

Escorpyana disse...

Adoreiiiii,a bunda é muito falada mesmo,mas nada com o uma bunda sem grilos ne..rsrs.tenha uma semana deliciosa,
beijussssssssss

Lázaro Barbosa disse...

Por que a bunda? Bom, uma idéia é perguntar aos mesopotâmicos, bonobos, cachorros, leões, biólogos, escritores, antropólogos, artistas pornôs, estilistas, hedonistas, gastroenterologistas, metrologistas...

Saudações verdes

Lázaro

Cássio Larangeira !! disse...

Ahahah.. Gostei. Não vou mentir em dizer que gosto sim de olhar... quando elas vão...e vem.. mas... Uma mulher confiante, independente do tamanho da bunda..é sempre interessante. hahaha

Beijos Lu

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo