quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

É uma questão de preconceito?!

Antes de falar alguma coisa, vocês já sabem sobre o que irei escrever, não é? A imagem diz "tudo" já que ela é o símbolo da igreja (católica ou protestante). Porque falarei disso?! Simples. Para expor minhas opiniões em relação às igrejas e ao comportamento de quem as frequenta. Quando pequena, frequentava a igreja católica e conhecia todos os rituais católicos. Também, quando convidada, ia às igrejas protestantes e conseguia claramente ver a diferença entre ambas. Mas, na verdade, meu primeiro questionamento surgiu a partir do momento em que ouvi as denominações dos seus praticantes, de um lado os católicos e do outro, os crentes e evangélicos. Segundo a concepção popular:


Católicos: frequentantes da igreja católica

Crentes: protestantes, aqueles que crêem em Deus

Evangélicos: protestantes, aqueles que crêem no evangelho

Porém, após estes conceitos, surge uma dúvida. E os católicos? Eles não são crentes e evangélicos? Eles não crêem em Deus e/ou no Evangelho? Parece que não, pois estes conceitos e denominações parecem querer distinguir duas religiões que acreditam em um mesmo Deus. No entanto, as igrejas se dividem em uma série de outras igrejas, tais como a Batista e suas subdivisões. Cada um destes templos religiosos se baseiam no livro sagrado, a Bíblia, e possuem diferentes interpretações da mesma. Acredito que seja este o fator principal e essencial para que haja tantas igrejas em tão pouco espaço territorial, digo isto porque em um bairro, de qualquer cidade, há diversas igrejas e cada uma com designação diferente.

A igreja católica mantêm-se una, apesar de haver a Cancão Nova, a qual nem todos os católicos são adeptos. Adverso, temos a religião protestante com inúmeras igrejas espalhadas por todo o mundo. Mas voltando ao início do texto, volta à interrogação: Porque os católicos também não são chamados de crentes ou evangélicos? Parece que estes termos referem-se apenas àqueles que pouco mostram os braços, vestem saias ou vestidos acima do joelho e evitam se mostrar, considerando músicas e outras coisas que nos são habituais como "mundanas". E isto traz uma questão à tona: Seria um preconceito dentro da própria instituição religiosa?

A religião católica, devido toda à sua história e tragicidade, perdeu muita credibilidade e por isso é julgada com idéias pré-concebidas enquanto os protestantes, através de Lutero, são considerados aqueles que lutaram contra as atrocidades do catolicismo e trouxeram à tona a leitura da Bíblia e a luz do conhecimento. Logo, os católicos, em uma visão geral, não são dignos o suficiente e se o são, são poucos aqueles que tornam-se respeitáveis? Mas será que isso deveria existir em um mundo onde todos dizem acreditar em um Deus misericordioso e de bondade inigualável?! Não é a religião que diz quem o homem é, mas a verdadeira crença em Deus. Então, podemos ser crentes e evangélicos sem necessariamente ir à igreja e pode-se ir à igreja e não ser nenhum dos dois. Sem contar que os católicos, assim como qualquer outro, também podem ser chamados de crentes ou evangélicos. Porque não?

Engraçado tudo isso, pois o homem sempre se contradiz. E este texto é um claro exemplo disso pelo fato de existirem aqueles que sustentam uma religião, mas não vê o outro como um irmão e que, portanto, o distingue através de uma nomenclatura. Poxa! Cada dia me pergunto: Onde vamos parar? Talvez em lugar nenhum porque os limites parecem se esgotarem. E, agora, basta orar, queridos leitores, e aproveitar a vida da forma que melhor lhes convier. Apenas uma dica: Peçam muito perdão pelos pecados, se assim achar melhor, mas antes pensem bastante no que vem a ser pecado para não deixarem de gozar a vida.

11 comentários:

espelhodesombras disse...

Querida Lu, jamais te esquecerei, ainda mais pelo tempo de nossa linda e maravilho0sa amizade.
Mas ramo lá, em todas essas parafernálias de religiões e Deuses, eu faço uma simples pergunta: Quem é Deus, e quem está com o Deus certo? Um doce pra quem responder, pois todas as igrejas e homens que conheço ou que tenho notícia de adonaram de Deus, e de suas interpretações, se fazendo assim porta vozes do Senhor e tb arrecadadores de dízimos.
e em assim sendo, penso que
ele (Deus),é o cara mais rico do Planeta, e quiçá, dessas e doutras, e galáxias , pois Ele é o Cara. E contando todas as igrejas, palacios, vaticanos e quejandos, como tb a grana investida na bolsa e canais de TV, e etecetera e tal. Vixxxe, dá pra comprar o planeta dez vezes. Mas esses senhores (todos) só cuidam de si e de suas vaidades, como dizia o Cristo, façam o que eles dizem, but....
E para não escrever aqui um tratado, venho comunicar a minha querida amiga que depois de muita pensar, resolvi que quero ir para O INFERNO, (ainda quero pecar muito) pois pelo que observo o céu estará repleto de picaretas e quetais, como todos esses rezadores milinários, com contas bancários, enormes aqui e no exterior. E ainda tem uma vantagem, lá nas profundas, vão estar todas essas pecadoras horríveis e meus amigos da boemia.
Já pensou passar a eternidade rezando genuflexo,com aqueles anjinhos caretas? Ah! e ainda imagino que nosso presidente com todos seus acólitos estarão no céu, por isso, peço: pelo amor de Deus que não me deixem ir pra lá (procéu)... Amém.
Muitos beijso
João Costa Filho

collybry disse...

Sómente digo que DEUS não necessita de templos...é-o a nossa casa, infelizmente é necessário sempre algo para crer, o que dizem é tão complicado, e a verdadeira crença é simples, tanta riquexa com tanta probreza por ai...

Beijito

Cadinho RoCo disse...

Tenbho a sensação de que mudou a postura do Sem Pudor e está ótimo este rumo. Permita-me dizer que sua publicação é muitíssimo instigante e nem vou me alongar aqui, depois podemos conversar via e.mail.
O primeiro ponto Lu é que nem catolicismo e nem protestantismo são religiões. As Igrejas Batista e outras incluo no rol dos protestantes. A igreja, seja ela qual for, é uma instituiçção Lu, uma organização criada pelo homem para agregar princípios religiosos. É um engano a pessoa dizer que é da religião católica ou portestante. Ambos são cristãos. A religião é o cristianismo, tal como existe o judaísmo, budismo e por aí vai.
Num outro aspecto você está certíssima, porque o católico além de crente é evangélico também, posto que o cristianismo está cunhado, sobretudo, no Novo Testamento, que abriga os 4 evangelhos. Para ser rápido, a diferença entre as igrejas está basicamente na interpretação. Os protestantes fazem leitura dita fundamentalista das Segradas Escrituras e por aí começa a confusão. Mas esse é assunto extenso demais. Sua inquietação é totalmente pertinente e sua afirmação não menos saudável, quando desvincula igreja de religiosidade. Nem todas as pessoas que frequentam a igreja asumem postura de fato cristã e nem todas as pessoas que não frequentam, deixam de ser cristãos. E para concluir, pecado é tudo aquilo que nos faz mal, só isso, não mais que isso. Quando sentimos que fizemos o mal para nós e em nós mesmos, aí sim pecamos.
Cadinho RoCo

Kakaroto disse...

Lu Rosário,
De fato, considero que o importante é gozar..
Quanto às ramificações da religião cristã citadas por ti: Acredito que outras formas de pensamento religioso sempre surgem das religiôes vigentes (ora, a cristã não veio do judaísmo e etc), e simplesmente é preciso inventar nomes novos para elas, e rótulos diferentes aos seus praticantes para que não se confundam com a identidade dos seus predecessores; crente é só uma denominação geral e banal usada pelos outros que não os próprios crentes, já que estes não se chamam assim, para determninar os não-católicos, mas claro que isso não quer dizer q os seguidores do Vaticano não creiam. A origem da escolha do nome evangélico é por eles acreditarem no evangelho novo, mas o conceito não se limita a isso, esta é só a explicação etimológica do nome da "nova" religião, mesma coisa o léxico geral "protestante" e assim por diante. Acho q melhor é não pegar as curtas definições assim tão ao pé da letra..
De qualquer forma, concordo com quase tudo q disseste, a contradição humana, a falsa dicotomia entre pecado e perdão, a resignação da humildade cristã. Enfim, repito tuas palavras: apreveitemos a vida como melhor nos conviermos.
Obrigado pelo comentário no meu blog. +D Seja sempre bem-vinda.
Até.

Kakaroto disse...

Errata: Na sexta linha, entre parênteses, onde lê-se "e etc", leia-se "e etc?".

Atreyu disse...

Independente de crença ou opinião! O que vale é fazer o bem

edson marques disse...

Lu,



Flores e estrelas!

Dando a Bunda pra Bater disse...

Como sou Espírita, e o bom espírita respeita as outras religiões (ou tenta!), não irei comentar.

Mas vou deixar um beijo pra você.

Beijo!

Enfil

Kall disse...

Lu sou amiga da Rô e li seu comentário no blog dela no dia do meu niver...ok sei que to um mês atrasada mas vou explicar rs...após meu niver viajei e so voltei ontem.
Adoreiiii seu comentário e sua felicitação a mim.
Vim voando agradecer.
Se cuida tenha um otimo fds.
Bjão.

Fabiana Amaral disse...

Ixe! isso aqui deu o que falar, hein? Sabe do que a humanidade precisa? de amadurecimento espiritual. Hoje em dia eu não discuto religiã,mas atos, intenções e caráter. É um assunto extenso mesmo, mas mto saboroso pra quem consegue discutir o assunto com intuito de agregar valores.

Um beijão, minha doce menina!

* Simoni * disse...

É, há quem diga que é mais importante DIZER quem tu és do que MOSTRAR quem tu és... Como foi muito bem dito em um cometário acima: Deus não precisa de templos físicos... porque o templo Dele está dentro de nós... por isso mesmo nomeclaturas e denominações religiosas são tão desimportantes quanto uma igreja de pedra! Seja crente, evangélico, católico, espírita, judeu, membro do candomblé ou até mesmo sem religião... isso não importa, o importante mesmo é quem tu és e o que fazes para si e para os outros! Beijo, minha Lu!

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo