terça-feira, 10 de abril de 2012

Fluidez


Gostaria de desaguar um pouco, assim como os rios caudolosos. E, depois, me restabelecer para, adiante, desaguar novamente. Preciso de fluxos, de fortes dosagens, de riscos, de quedas e lances altos. Preciso de folgas, de soldas e de ousadias a mais. Gostaria de sorrir para o horizonte, beijar o azul e desaguar águas doces ao invés de sal. Deitar amarela e acordar roxa de saudades para, enfim, me reestruturar novamente em minha intranquila liquidez.



Lu Rosário




Esta publicação pertence ao Prosas Poéticas. Todos os textos publicados em forma de prosa e contada de forma poética se encontram aqui. Sinta-se à vontade para conhecer os outros textos concernentes à esta categoria.



3 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Queria desaguar em alguem,
em algum lugar...

Secreta disse...

Ser rio, mar , amor... fluir.
Beijito :)

Lázara papandrea disse...

queria um desaguar assim também!que lindo!

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo