segunda-feira, 16 de abril de 2012

Há Piadas e piadas

Rir é bom demais! O riso alivia as tensões, libera a endorfina e produz sensação de bem-estar, além de aliviar a dor  e fortalecer nosso sistema imunológico. Sem contar todos os outros tantos benefícios, que não são necessários colocar aqui. A questão é que rir é um remédio para espantar os males  e uma forma de proporcionar isso é com uma boa piada. A piada é um texto curto, rico em ironia e elementos que possibilitam o humor. De acordo com Possenti (2012), é importante observar a hipótese de Freud sobre os chistes¹, que se dividem em seus propósitos como inocentes e tendenciosos. Os tendenciosos podem ser hostis ou obscenos. Para Freud, os chistes seriam uma forma de expressarmos aquilo que, de outra forma, não seria possível a nível consciente. Há alguns anos, ouvi uma piada que dizia: 

Certo dia, um homem foi à um lugar bem pobre fazer uma entrevista com os moradores. Encontrou um senhor que cedeu à entrevista. Enquanto conversavam, um dos filhos desse senhor aproximou-se e disse ao pai que os testículos dele estavam aparecendo. Envergonhado, o senhor ajeitou melhor a roupa que vestia. Passado algum tempo, o menino aproximou-se novamente e o alertou do mesmo modo. Após a entrevista, o entrevistador agradeceu e disse que estava impressionado com a educação de seu filho, pois usara um termo formal "testículos" em vez de "ovo" para alertá-lo da roupa mal colocada. O senhor então respondeu: É porque se eu disser que é ovo, eles comem.

Quando ouvi isso, eu ri durante semanas. Lembrava da piada e automaticamente ria de forma desenfreada, até que após refletir sobre ela... comecei a  encará-la de outro modo. Pensa aí: uma comunidade pobre, em que se usa a palavra testículos em vez de ovos para evitar o canibalismo é muito triste. Acredito que essa piada seja, então, tendenciosa, pois retrata a nossa sociedade e aponta como andam as coisas em nosso país. E, assim, tenta abrir nossos olhos e dizer: "- Oh, tem gente que está na miséria! E você, está rindo de quê?". As técnicas utilizadas para a formação dessa piada foram expressas perfeitamente e obtiveram o resultado esperado: o riso. Nesse sentido, é acionado um mecanismo em nós que libera aquilo que inconscientemente não reconhecemos. Com isso, eu me pergunto: - Que tipo de pessoa sou? Acredito que fruto dessa sociedade que maltrata e escraviza nossos pensamentos. Contudo, chegar a essa conclusão faz com que eu me sinta um pouco mais humana. E que venham mais piadas!


¹ Chiste: s. m. Graça; facécia; pilhéria. Malícia disfarçada que um dito ou um escrito encerra (Dicionário Priberam de Língua Portuguesa)

POSSENTI, Sírio. Duas Piadas. Disponível em: http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI4912918-EI8425,00-Duas+Piadas.html. Acesso em 16 Abr. 2012.


2 comentários:

Lu Rosário disse...

Este é um texto breve sem maiores referências e aprofundamentos.

É só uma forma de externalizar meu sentimento e pensamento em relação à piada contada. Para leituras mais consistentes a respeito de piadas, uma ótima referência é Sírio Possenti. Fica a dica!

don vito andolina disse...

Hola, concisas y precisas letras desnudan a golpe de talento la pura belleza germinal de este blog, si te va la palabra encadenada, la poesía, te espero en el mio,será un placer,es,
http://ligerodeequipaje1875.blogspot.com.es/
gracias, pasa buen día, besos totales..

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo