segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Sou quem sou..

Fotografia: Clécio Lemos

Eu posso ir da zona sul a zona leste, dar uma volta de 360º nos recônditos do lugar onde resido. Posso, inclusive, serpentear nas obscuridades da noite ou reformular meus passeios em tardes ensolaradas. Eu posso ir onde eu quiser, com quem eu quiser e quando quiser. Digo isso porque não é da conta de ninguém me julgar nem muito menos fazer comentários tortos. Eu não sou da conta de ninguém, sou da minha conta e pronto. Os lugares que frequento não dizem quem eu sou. Quer dizer, podem dizer a depender do ângulo que você me vê. Digo isso porque dia desses cedi ao convite de um amigo e fui em uma casa de shows mal falada na cidade em que resido. Lá é desses lugares que frequentam muitas mulheres consideradas "piriguetes" e muitos homens casados que estão em busca de aventuras sexuais. Um lugar que os homens dão em cima e as mulheres se esbanjam, beijando um ou dez seguidamente.

Agora eu, Lu Rosário, educadérrima e tranquilíssima (visto que minhas palavras venham a transbordar sensualidades), vou muito ficar me expondo de forma vulgar. Não mesmo! Quem me conhece sabe que sou curiosa por natureza e que ser vadia não é meu dom. Quem realmente me conhece sabe que eu não ando procurando homem nas esquinas, em bares, em meio a intelectuais e muito menos em casas de show de tal naipe. Não preciso andar procurando homem como alguém que está no cio, sei que sou interessante o suficiente para que eles me encontrem nos lugares mais convencionais. Nunca andei atrás de homem, nunca precisei disso. Sou bonita, inteligente, independente e sei me portar onde estiver.

Antes de julgar o outro, conheça-o! Vêem a minha revolta? Advem de uma conversa da minha mãe com duas amigas que, na minha ausência, perguntaram:  - Como está Lu com o namorado? E minha mãe: - Ta bem, ta enrolada com ele. Esses dias foi até naquele lugar? A outra: - Aaah, então ta desesperada! Me poupe, viu senhorita? Me poupe! Você mal sabe quem sou e como sou para emitir opiniões como estas. Aff. Precisava desabafar, queridos leitores.

Me digam: o que vocês acham disso? Fui lá com um amigo que trabalha no tal local e com uma amiga que também não curte o lugar, fomos devido ao convite dele. Chegamos lá e ficamos sentadas em um canto com ele na santa paz e depois ainda levar fama de quem está desesperada por homem. Ai, se não rodei a baiana para ela que eu rode ao menos aqui em palavras..rsrs. Dessa vez, aceito mais do que nunca todos os comentários!


"Se você quiser saber de mim, estou aqui
Que nem você no mesmo carnaval
Na mesma procissão"
 [Ivan Lins]


6 comentários:

Paolla Milnyczul disse...

Olha só, menina, vc é forte, durona, meiga, sincera e linda. Não precisa mesmo de ficar se expondo.
Curiosidade é algo que nós, escritores, temos em excesso.
Besta é quem nao tem curiosidade de viver outros ares...
alias, que amiguinha hein?!

O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Uma radiosa semana


Doce beijo

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

"Aaah, então ta desesperada!"

rsrsrsrsrs...
Esse causo(rsrs) é tua cara.
O que faltou para essa mulher receber uma RODADA de SAIA de Baiana?!
...nada...rsrsrs

Beijos...fica com DEUS.

Ah! só hoje, que meu sobrinho me falou que sua foto NÃO era um BRAÇO...e sim...UMA PERNA....rsrsrs
Eu achava que fosse um BRAÇO com a mão amputada...kkkkkk...que usava uma prótese.

Preciso trocar de óculos, URGENTE!

Anderson de Oliveira disse...

Kkkkkkkkkkkkk!!! No coment's! Mas te conheço muito bem para saber de você. E você é Lu Rosário! :*

* Simoni * disse...

Sou eu quem te conheço... sei bem quem tu és... acho lindo todo esse desprendimento,nada de preconceitos nem obstáculos impostos! Essa é a minha Lu! Linda, na sua forma linda de ser! Te amo!

Maria Luisa Adães disse...

Minha amiga

Se está desesperada pela falta de alguém, o problema é apenas seu e não pertence ao vulgo que a conhece, sem a conhecer, sem a entender, sem se lembrar que é humana e merece toda a nossa consideração, neste caso a minha.

O estar neste mundo e a forma de
estar,é não se banalizar nas palavras ocas que se dizem por dizer e já não têm o seu significado real, à força de serem ditas e terem perdido a sua verdade, nesse dizer e nesse descer...

E o seu texto é muito interessante.

Maria Luísa

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo