terça-feira, 28 de maio de 2013

Dentre todas, esta é uma arte.

Fotografia: Ana Maria Dantas
Chega uma hora que você não consegue mais se desvincular do som que o forró proporciona porque a zabumba parece ser a batida do seu próprio coração. Assim dizem os mais chegados, aqueles que reconhecem suas emoções nas letras forrozeanas e nos pés incansáveis. Todo forrozeiro carrega em si um sorriso estampado quando ouve um triângulo e uma sanfona chorona, forrozear é sempre acertar o passo, mesmo quando tecnicamente ele não esteja certo.

Há que se considerar um vício tremendo aquele proporcionado pelo forró, mas há também que pensar no quanto tal batida (ou pegada) pode ser um vírus, do ponto de vista positivo. Quem se amarra no forró, esquece qualquer lástima com dois passos trocados. Há quem, juntinho (ou não), feche os olhos e se deixe levar; há quem prefira dançar coladinho ou quem prefira dançar mais solto; há passos pulados ou arrastados; mãos levantadas ou sobre o corpo; há quem não dispense ouví-lo no carro, em casa ou onde quer que for. O forró apresenta-se como algo que nos é essencial e sem o qual parece não conseguirmos mais ficar (ou seria sobreviver?). Diria que o forró é uma forma de elevar o astral e de se sentir mais leve.

Quem forrozeia tem muitos amigos e uma vida social saudável, sem contar dos planos de viajar para tal e qual só para se aconchegar em mais um forrozinho bandido a lhe arrancar suspiros. Mais do que tudo isso, o forró - para quem ama - torna-se um modo de ser, um momento de deixar as intempéries de lado e de se entregar. Entregar-se à delícia que é o ato de forrozear porque, só digo uma coisa, se todo mundo conhecesse essa sensação... ninguém reclamaria de que não é feliz. E outra: o forrozeiro reconhece que ser forrozeiro não é tudo, ele conhece a simplicidade das coisas e sabe ser guerreiro no dia a dia. Ser forrozeiro é, portanto e acima de tudo, uma arte e, como vês, inspiradora.


♪ ♫ Que vida boa danada
Desse jeito vou até o fim
Andando e dançando forró
Vou levando a vida assim ♪ ♫
[Danilo Ramalho]


4 comentários:

Mateus Lessa disse...

Parabéns mais uma vez Lu, realmente o forró está cada vez se tornando algo excencial em nossas vida e um fator motivacional p poesias, romances e muitos passos!! :)

Almi Junior disse...

Belíssima a forma como você descreve a sua paixão. Primeira vez que leio um texto direcionado especialmente ao forró e não para descrever o forró com todos os seus detalhes de técnicos e de origens, mas pela forma como o forró chega a você. A música alimenta a alma mesmo.

Lari Moreira disse...

Boa noite *-* Apesar de eu não gostar muito de forró, achei interessante, e divertida a foto sobre ele ..
Vim retribuir sua visita, e avisar que tem novos posts em:

http://maybe-i-smiled.blogspot.com.br/
http://dicionario-feminino.blogspot.com.br/

Fique com Deus

Murilo Soares disse...

Que coisa linda é ver a felicidade nos olhos dos forrozeiros .....

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo