segunda-feira, 1 de julho de 2013

Será que eu sou isso tudo?

Esta pergunta que encabeça o texto é a que a maioria das pessoas fazem ao ler este blog, principalmente a que a maioria dos homens fazem. Quando me perguntam "Será que você é isso tudo mesmo?", eu digo que não sei. Como saber o que eu sou para o outro, sexualmente falando? Eu sei quais os meus anseios e meus despudores, mas não sei qual a minha real performance. Apenas quem sabe como sou é quem prova, quem me saboreia. No entanto, eu pergunto-lhes: O que eu digo sobre mim que aguça tanto a curiosidade alheia?

Normalmente, os meus textos possuem relatos, resultados de pesquisa e minha opinião a respeito. Algumas vezes, deixo a desejar e lanço mão total do que eu acredito e de como gosto; outras vezes, deixo minha opinião e, entre parênteses, coloco em dúvida se aquilo realmente me pertence ou não. Acontece que eu não fico me exibindo, dizendo que faço isso e aquilo para os internautas ficarem loucos por mim. Eu escrevo sobre sexo, apenas isso.

Uma mulher que escreva sobre isso é alguém que atrai por si só e, ainda mais, quando ela expõe suas próprias fotos (que são bem sensuais). Mulher + escrita sobre sexo + fotos sensuais oferecem um prato bem temperado de alimentos que se mostram afrodisíacos. Entretanto, essa pessoa que vos fala aparenta todos os pudores, mostra-se ingênua e, quando bebe, perde seus limites. Há por trás dessa pessoa de uma única face e de contraditórias formas um algo a se fundir. Este espaço, Sem Pudor, é o que me faz sentir mais à vontade. Inclusive, me sinto mais à vontade aqui do que em qualquer outro lugar. Aqui eu não preciso ser moralista nem ficar buscando me enquadrar nisso ou naquilo. Aqui, a minha única instituição é a internet - espaço onde tudo é permitido.

Ninguém nunca vai me barrar porque escrevo putaria ou quaisquer outras coisas. Pelo contrário, eu vou atrair pessoas a fins e fazer amizades, entre outras coisas. Então, acho que a pergunta certa não seria esta...apesar de ser inevitável não fazê-la. Creio que os sentidos aguçados por todos os itens que tornam o Sem Pudor ser o que é fazem parte dos efeitos que este pretende promover. Depois de escrever esse texto e de pensar bastante, eu também me pergunto: "Será que sou isso tudo?". Concluí que eu não preciso provar nada para ninguém, que quem quiser saber se sou realmente essa eroticidade transmitida pelo blog precisa me conquistar, conquistar a Lu Rosário que possui a leveza das suas personagens femininas. Alguns vulcões precisam de apenas uma reciprocidade para serem despertados.

3 comentários:

Rafaela Figueiredo disse...

De uma única face e contraditórias formas... amei isso!

Sim, Lu, o encanto está justamente no caleidoscópio do íntimo, como tb na forma (tão bonita e verdadeira) com q escreves teus textos e nos delicia a imaginação. Isso é ser muito!

Beijo grande

Claudio Chamun disse...

Se tu és tudo isto para ti mesmo, então tu és.
A escrita nos solta até o mais profundo da imaginação. Na prática depende da parceira(o). É preciso ter cumplicidade, harmonia, entendimento. Podemos ser nada para muitos, mas para aquele pessoa chave seremos tudo isto.
Beijo

Ricky Oz disse...

Oi Lu!
É, realmente não dá pra saber só pelo blog, o negócio é conhecer, conquistar e degustar ^^. Acho que no fundo, todos se soltam mais no blog, falam o que pensam sem pensar duas veze, pois estão num lugar livre em que não haverá julgamento de ninguém.

Beijos

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo