domingo, 10 de agosto de 2014

Corpo brasa


Entre corpo e brasa
não há diferença,
há fogo
desses que não se queima,
mas salienta qualquer gozo.

Cala-te a boca,
tire-me as vendas
desvenda-me boca, seios e lábios
por todos os lados

Gula faz parte
dos anseios do corpo
em saber sabor.

4 comentários:

JOSENI disse...

Que poesia linda!!
Parabéns!!

Avisa que o BLOG DO PARCEIRO esteve aqui:

http://josenidelima.blogspot.com.br/

Fabiano Silmes disse...

Um poema saboroso como a poetisa lida que o escreveu. Beijos e que sua vida tenha mais um pouco de Silmes para nossa alegria...Inté!

Dropes69 disse...

SE CADA LETRA FALASSE;
NESTE POEMA DE AMOR!
TALVEZ EU SENTISSE;
O TEU GRANDE CALOR!!!!

Lu Rosário disse...

Mais Silmes em minha vida? Adoro.
Poesia sabor calor: combinação perfeita para o erotismo.

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo