domingo, 13 de maio de 2012

Preciosa¹

Saiu daquela sensação
de mau estar momentâneo
para um êxtase sem planos

Não sabia se encontrar
se querer nem se amar
Era um refluxo a todo instante
gotejando formas desencontradas

Não queria nada
Ao menos sabia de alguma coisa
Andava entre-rodas, picotada

Exalava carmim

Em minúcias,
soltava palavras
de cunho eterno e impróprio

Era sedução e revelação
Preciosa.


Lu Rosário



¹ Poema escrito no dia 10 de Junho de  2008 e reescrito hoje.



Esta publicação pertence à categoria Poesia. Todos os textos publicados em forma de versos se encontram aqui. Sinta-se à vontade para conhecer os outros textos concernentes à esta categoria



7 comentários:

Carlos disse...

o cunho impróprio é eterno. o resto é simplesmente comum e sem graça.

Smareis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Smareis disse...

Oi Lu,

Sempre me encanto com sua palavras.
Você tem alma de poeta, escreve sempre na dosagem certa.
Escreveste maravilhosamente essa sedução reveladora.

Um grande beijo em teu coração grande poeta.

Ótima semana.

Lázaro Barbosa disse...

Ah, uma preciosa dessas aqui por perto...

Saudações verdes

Lázaro

*Escritora de Artes* disse...

Uma bela poesia sedutora...

Obrigada pela visita!

Bjos

Lázara papandrea disse...

sedução na medida certa! beijos

Dolce Vita disse...

Belo!

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo