quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Noturna


A noite morava dentro de si
com seu todo enluarado e caminhos estrelados

Os olhos sinalizavam outras direções
entre campos e sensações devastados

Em si, estavam todos os sonhos  
e parafernálias míticas

O corpo repetia o tempo
A boca ingeria celestes

A noite tornava-lhe noturnamente sólida
e do dia lembrava-se ao amanhecer


Lu Rosário


Esta publicação pertence à categoria Poesia. Todos os textos publicados em forma de versos se encontram aqui. Sinta-se à vontade para conhecer os outros textos concernentes à esta categoria.

4 comentários:

Paulo Sotter disse...

Oi Lu, que linda poesia. A noite sempre nos inspira de alguma maneira. O dia fica para depois, fatalmente amanhecerá, por ora basta-nos o encantamento da noite.
Obs. Estamos em sintonia novamente, primeiro foi sobre "nós", agora fiz um post sobre noite e luar, e chego aqui e me deparo com tua poesia, fiquei rindo sozinho. A inspiração está no ar. Um abraço!

Rebeca dos Anjos disse...

Feito pra sonhar!

Muito lindo, Lu!!!

Beeeijo!!

Anderson Gomes disse...

Que coisa linda! Belíssimo de fato!

Marcio Rogerio disse...

Maravilhosa poesia querida amiga lu, estou linkando seu blog confira
http://linkmequeeulinko.blogspot.com.br/
beijos e sucesso...

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo