terça-feira, 30 de outubro de 2012

Uma declaração


Declaro-me apaixonada. Não apaixonada por ninguém nem por nada em específico, declaro-me apaixonada por tudo o que me inspira e inspirar-se é encontrar motivos para externalizações por meio da escrita. Sou apaixonada pelo vocabulário arredio e insolente, amo as posições do corpo com seus movimentos rápidos ou lentos e com seu arrepiar que faz todo o sentido. Apaixono-me constantemente pelas cores, sejam elas neutras ou não. E com tanta paixão, escrevo palavras escorregadias e entrego-me por completa sem corações ao redor. Declaro-me porque não tenho como negar algo que parece correr em minhas veias e dominar-me despudoradamente. Há coisas que não há como fugir porque a fuga seria um decreto de imbecilidade e de querer tornar-se obscura. Eu não. Gosto da claridade com que tudo se apresenta e da promiscuidade poética. Quando solto versos sem rima, reconheço a Lu Rosário que há dentro de mim e sorrio por também reconhecer a liberdade que me invade. Declaro-me, pois, apaixonada pela liberdade e todos os seus contrastes. Raciocinar em meio a loucura é um meio de desvencilhar-se e, em meio a tudo isso, volto às questões de inspiração. Inspirar-se é, então, mais que uma paixão. Inspirar-se é uma forma livre e poética de viver.


"Eu gosto de [me] arriscar! De me jogar: na vida, no ar, no mar, na lama, na cama.
Pois eu não me contenho e explodo por dentro. E não consigo parar de sentir nesta explosão interna que se exterioriza!"
[Paolla Milnyczu
l]


Lu Rosário


Esta publicação pertence ao Prosas Poéticas. Todos os textos publicados em forma de prosa e contada de forma poética se encontram aqui. Sinta-se à vontade para conhecer os outros textos concernentes à esta categoria.


6 comentários:

Dolce Vita disse...

E talvez nada possa ser tão livre quanto o pensamento de quem escreve. Belo post, Lu! Bjs

Paolla Milnyczul disse...

Ow menina linda!!!

Lindo texto, intenso, tão louco, tão apaixonado e insano... tão VOCÊ! Essa é você, você e todas as suas reentrâncias, sem se conter, sem contenções!

Ahh brigada pelo presentinho e honra...
AMO!
Beijos linda!!!

Paulo Sotter disse...

Inspirar-se é encher o peito de vida e deixar transbordar na arte. Bonito teu texto. Abraços

Lázara papandrea disse...

é isso aí Lu a poesia nos liberta! a palavra nos liberta! beijos

Por que você faz poema? disse...

Da promiscuidade poética,
nao abro mão.

Luís Gustavo Brito Dias disse...

a verdadeira liberdade não veste formas nem moldes.

assim é a inspiração, não é mesmo?

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo